sábado, 28 de fevereiro de 2015

Entenda como é caminhar 6 minutos ao ar livre quando está -30ºC

O prédio ao fundo é a First Nations University Canada de Regina.

Eu estava na universidade e tinha uma reunião no prédio da First Nations University Canada, que é atrás dos prédios da University of Regina.

Naquela manhã, estava -30ºC com ventos de 19km/h. A umidade estava um pouco alta para os padrões de Regina: 59%, o que faz com que o frio seja mais desagradável.


Como já falei em alguns posts, minha tolerância para caminhadas ao ar livre é -20ºC, mas como os prédios são perto um do outro, não fazia sentido ir de carro.

Adoro gramados cobertos de neve, dá vontade de rolar ali...
A caminhada entre os prédios deu entre 6 e 8 minutos no total.

Quando faltava ⅓ do caminho, eu já não sentia mais meu nariz e minhas bochechas estavam amortecidas. Quando chega neste estágio, além de a pele estar super gelada e praticamente sem sensação alguma, começa a doer.

Eu estava bem agasalhada, com toca, luvas e cachecol, mas como estava de óculos, não dá para tapar o nariz e as bochechas porque as lentes embaçam; e como estava ventando bastante, o óculos protege das rajadas de vento com neve (que parece tempestade de areia).

O que parece fumaça ali no telhado é neve sendo levada pelo vento.
Estas rajadas não são frequentes, mas acontecem em lugares super abertos como os arredores deste prédio e quando tem neve fresca, soltinha...


Porém, em menos de um minuto dentro do prédio, abraçada pelo calor da calefação, eu já nem lembrava mais do frio. Aliás, com um sol lindo e paisagens como estas, mal dava para acreditar que lá fora estava frio!



...
Em dias frios assim, não é recomendado ficar mais de 10 minutos lá fora.
Ao entrar nos prédios, temos que tirar a jaqueta mais grossa e todos os demais acessórios (luva, touca, cachecol) devido ao calor.

As imagens do blog estão maiores e se você clicar sobre elas, aumentarão mais ainda. Eu adoro fotos grandes nos blogs, mas como não quero mexer no layout do blog por enquanto, esta é a solução temporária!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Não tente ficar no Canadá usando o "jeitinho" Brasileiro

Assim que terminei de ler este post, resolvi vir aqui e escrever minha opinião sobre vir para o Canadá com a intenção de usar o "jeitinho" Brasileiro para permanecer aqui.


Recebo, com grande frequência, perguntas relacionadas à imigração: pessoas querendo saber como eu fiz para ganhar a imigração com visto de estudante e, outras, procurando um curso para fazer como atalho para a imigração.

FATOS:

Eu continuo estudando e possuo um student permit. Desta forma, sou uma residente temporária.

Meu objetivo foi, desde o início, vir ao Canadá para fazer um Mestrado na área da Educação.

O fato de estar estudando aqui não me dá o direito à residência permanente, ou seja, à imigração.

Em outras palavras, se decidirmos ficar aqui como residentes permanentes, temos que aplicar para um dos processos federais ou provinciais como qualquer outra pessoa.
Obter um diploma numa das instituições credenciadas a um dos programas de imigração pode ser um dos requisitos no processo. Mas, lembre-se:


  • Eu pago 5x mais que um Residente Permanente por semestre, no Mestrado. Ou seja, não é barato.
  • O curso exige muito do estudante. Se seu objetivo não é estudar, você não vai aguentar o programa inteiro. (Sem contar que se reprovar, pode ser convidado a se retirar da universidade - as universidades aqui não querem alunos com notas baixas, pois ao nos formarmos somos simbolicamente "tatuados" com a logomarca da instituição pra sempre e instituição séria não quer qualquer formando carregando seu nome).
  • Eu sempre amei estudar e sempre estudei muito no Brasil (muito mais que qualquer colega), porém, nunca imaginei que estudaria TANTO quanto estou estudando aqui no Canadá. O conceito de estudo no Brasil e no Canadá são muito diferentes. Desta forma, não consigo conceber a ideia de fazer um curso aqui apenas para facilitar a permanência.
  • Se você precisar contar com a ajuda de bolsas de estudo aqui, um dos requisitos que todas elas possuem é média geral de notas no programa. Até onde eu sei, a média mínima é 80. Mas não se iluda: tirar 80 exige tanto estudo e sacrifício quanto tirar uma nota 100 no Brasil (são poucos os alunos com médias iguais ou superiores a 80 por aqui).
Se você quer fazer um Mestrado ou Doutorado com o intuito de dar um up na sua carreira, sou a primeira a dizer: venha, pois minha experiência está sendo fantástica!
Mas se você quer fazer um Mestrado ou Doutorado com o intuito de dar uma encurtada num dos processo de imigração, ops!, reveja seus planos pois não é bem assim que funciona.



...
OBS.: O que escrevi acima é MINHA OPINIÃO e é resultado da experiência que EU estou tendo aqui no Canadá.

A Gaby escreveu umas dicas para quem quer fazer Doutorado no Canadá. No post dela dá para entender um pouco mais sobre minha opinião quando digo que estudar no Canadá não é para qualquer pessoa...


Imagem daqui.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Bem-vindo a Regina - website


A Prefeitura de Regina lançou hoje um website especial para quem recém chegou ou está pensando em vir morar em Regina.



O website possui um menu bem completo com respostas às muitas dúvidas que temos na hora de decidir por uma nova cidade para morar.

Bem-vindo a Regina! =)

Imagem do site Welcome to Regina.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

6 on 6 Canada | O que fazer quando está frio?



No mês passado, mostramos como é o inverno na província/cidade onde cada uma de nós está morando.

Este é o nosso (Marido, eu e gato!) terceiro inverno aqui no Canadá e cada um dos três invernos foi bem diferente um do outro:

1º. No primeiro inverno (2012/2013) nevou muito - mais de 2 metros de neve -, mas, apesar do frio, o inverno todo foi super ensolarado e podíamos fazer nossas caminhadas quase diariamente.

2º. No segundo inverno (2013/2014) fez muito frio; tanto frio que nem conseguíamos fazer nossas caminhadas de final de tarde (mais sobre isso abaixo) - acho que não enchemos duas mãos em dias de caminhada no inverno todo :(

3º. No terceiro inverno (2014/2015 - o que estamos vivenciando agora) está tendo de tudo um pouco: nevou, fez bastante frio, teve dias bem amenos, derreteu a neve, nevou de novo, fez frio de novo... Bem, este ciclo tem se repetido e acredito que vai continuar assim até a primavera chegar...

Os três foram invernos bem atípicos, pelo que a população local comenta.
E foi vivenciando cada um deles que fomos, aos poucos, aprendendo que fazer quando está frio!

Vocês devem ter notado que meu parâmetro para julgar se o inverno foi bom ou ruim é a frequência com que podemos fazer caminhadas na neve. Posso dizer que caminhar na neve é minha atividade preferida: adoro respirar o ar gelado enquanto afundo meus pés na neve fofa e branquinha!


Foi no primeiro inverno que aprendi qual minha tolerância para caminhar lá fora sem passar frio: até -20 graus com vento de até 25km/h eu saio numa boa. Me agasalho bem, protejo bem as mãos e o rosto e vou ser feliz lá fora!!!
Com frio abaixo desta temperatura ou muito vento não há como aguentar o tempo de uma caminhada (geralmente 40 minutos à uma hora). Se a neve derreteu e virou gelo, coloco minhas "garras" para não escorregar, mas não deixo de aproveitar meu adorável inverno.

Mesmo quando está muito frio, se a paisagem convida eu saio para fotografar.


Na foto acima, eu estava fotografando a paisagem com hoarfrost (publicado no 6 on 6 Canada do mês passado). Se está nevando, eu fico até aguentar lá fora tentando captar uma foto legal de flocos de neve (se tenho tempo, entro em casa para me esquentar e saio de novo!).

Desde o primeiro inverno, estabelecemos algumas atividades indoor que deixamos para fazer somente no inverno (as outdoor deixamos pros meses quentes).
Visitar museus e prédios públicos é uma delas. Ainda não esgotamos a lista de museus e prédios públicos a serem visitados e super recomendo deixar para vê-los durante o inverno, pois os locais são aquecidos e dá para ficar horas curtindo o que cada local tem de bom sem passar frio.


Nesta foto, eu estou ao lado de um moose empalhado no Royal Saskatchewan Museum. Este museu é imperdível, pois cada animal está num cenário real igual ao que vive. Em cada estação é possível conhecer o animal e as espécies naturais do seu habitat. É simplesmente encantador!

Outra atividade agendada para o inverno (mas não restrita aos meses frios, pois eu adoro ver o que tem de diferente a cada 2 ou 3 meses) é visitar antiquários. Os antiquários são como museus para nós, pois podemos conhecer como os Canadenses viviam e muitos dos objetos e mobília utilizados por eles nos dias atuais.


A foto acima foi tirada no maior (e meu preferido) antiquário da cidade: Regina Antique Mall. São 6 andares de objetos, móveis, roupas e máquinas. Cada vez que visitamos nos divertimos por duas horas, no mínimo! E já fizemos algumas pequenas compras por lá também! Adoro!

Por causa da neve fofinha e abundante, esquiar em Regina é uma prática comum entre os moradores. Nós só compramos nossos aparatos para esquiar no final do ano passado, mas ainda não experimentamos as trilhas da cidade e redondezas porque ou estava muito frio ou não tinha neve suficiente.


O rapaz da foto acima foi corajoso, pois estava esquiando sozinho num dia super frio.

Patinar no gelo é outra das minhas atividades prediletas! Regina tem mais de 60 pistas de patinação no gelo ao ar livre e várias outras em arenas fechadas, ou seja, dá para patinar em qualquer dia independente do frio!


Foi no final do ano passado que realizei meu sonho de aprender a patinar. Coloco meus patins e faço pequenos progressos a cada dia, pois estou aprendendo sozinha... Eu adoro patinar no gelo, me sinto livre!

Há muitas outras atividades para fazer quando está frio. Esta semana fomos assistir a uma partida de hockey. De vez em quando, vamos nas grandes lojas só para conhecer o local e descobrir produtos que sequer fazíamos ideia que existem. Vez ou outra, passeamos na livraria enquanto tomamos um café Starbucks bem quentinho. Pelo menos uma vez por inverno vamos na Casa do Governo tomar o chá da tarde. E quando está muito, muito frio? Sentamos na cama em família (Marido, eu e gato!) e ficamos ali lendo os livros que pegamos emprestado da Biblioteca Pública!
Ah, eu não posso esquecer de mencionar o quão divertido é fazer tobogganing nos valezinhos de Regina!
Aqui em Saskatchewan a vida não pára porque está frio!

Como será que as meninas do 6 on 6 Canada aproveitam os dias frios do inverno? 'Bora lá conferir:

#vidanagringa | Lana [Edmonton, Alberta]
Colorida Vida | Ana Paula [Vancouver, British Columbia]
Gaby no Canadá | Gaby [Toronto, Ontario]
Like a New Home | Adriane [Ottawa, Ontario]
Na Terra da Lua Virada | Lidia [Montreal, Québec]

Translate