segunda-feira, 30 de março de 2015

Cenas daqui | nº 24


Venda de limonada, como nas cenas de filme.

Esta foi a segunda vez que vimos crianças vendendo limonada na calçada. Acho muito legal!

A menina da foto foi esperta, pois era dia 1º de julho, dia que há diversas celebrações no Wascana Park em comemoração ao Dia do Canadá e muita gente estava passando a pé por ali (e comprando limonada!).

segunda-feira, 23 de março de 2015

Cenas daqui | nº 23


Um carro de xerife. De verdade.
Mas não pertence ao xerife hoje.

O carro é antigo e é de uma cidade vizinha. Não dá para ver direito na foto, mas o número 911 (número da polícia) e o nome da cidade (onde tem o logo, na porta) estão (quase) escondidos com fita crepe.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Cenas daqui | nº 22


Sonho de consumo para decorar uma futura sala.

Esta placa era gigantesca  (quase um metro de altura) e estava no nosso antiquário favorito (500 e poucos dólares).

segunda-feira, 9 de março de 2015

Cenas daqui | nº 21


Cena comum em alguns locais centrais da cidade: as pessoas se desfazem de objetos e os deixam ao lado da lixeira para quem quiser reaproveitá-los.

Se a pessoa vem para cá nos meses quentes é super fácil mobiliar a casa com móveis free.

No condomínio onde moramos, a lixeira é dentro de uma garagem. É muito comum, também, encontrarmos móveis em ótimo estado no esquema "gostou, levou".
Ajudamos um casal que veio morar aqui com peças da nossa lixeira: duas cadeiras de cozinha, um gaveteiro de metal (pena que este estava sem as gavetas), um criado mudo (este estava inteirásso e era de madeira maciça, lindo), molduras de fotografia (tinha uma caixa cheia), aspirador de pó.
Um tempo depois, achamos e adotamos um gaveteiro de madeira que está acomodando todos os nossos calçados.
Nós também já doamos no mesmo esquema: um par de almofadas novas que veio com nosso sofá e não queríamos; uma mesa longa que ganhei num garage sale, mas que não coube aqui em casa; um espelho grande numa moldura entalhada (lindo também).

Às vezes os objetos são lixo mesmo, como no caso dos colchões velhos da imagem acima. Porém, às vezes são objetos inteiros, apenas usados. Eu sou da filosofia "lavou tá novo!".
O sofá da imagem, por exemplo, estava com o estofamento super bom, só faltava um pé.

Foi o jeito simples que as pessoas encontraram de doar o que não querem mais; e somos prova de que funciona!


Translate